Nós utilizamos cookies para melhorar o nosso site e a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar no site está a concordar com a utilização de cookies. Encontra aqui mais informações sobre privacidade.

Aceitar.

6 perguntas ao nosso

projetista de rodas Alessandro Ghedin

Data: 6. Março 2018

Para o fabrico das nossas rodas de primeiro equipamento, recebemos os projetos de design diretamente dos nossos clientes. Porém quem projeta na realidade as nossas jantes para o pós-venda que vendemos com as marcas RONAL e SPEEDLINE CORSE? Uma dessas pessoas é Alessandro Ghedin, projetista de rodas da nossa filial italiana.

Alessandro trabalha há mais de 20 no RONAL GROUP. Fizemos-lhes algumas perguntas sobre o seu trabalho como projetista de rodas.

Alessandro, por que você iniciou esta carreira? Do que mais gosta do seu trabalho?

A paixão pelos carros e pelas novas tecnologias, entre elas os novos softwares de design, como também a possibilidade de trabalhar num ambiente estimulante em contacto estreito com os nossos clientes. É assim que se criam novas ideias!

Quais são suas funções e seus principais desafios como projetista?

Desenvolvo novos designs de jantes para as marcas RONAL e SPEEDLINE CORSE, colaboro ativamente com os clientes de primeiro equipamento e presto apoio ao nosso departamento técnico para conseguir obter os melhores resultados. Os maiores desafios estão em conjugar os requisitos estéticos com a eficiência técnica e leveza, assim como encontrar continuamente novas ideias.

Quais designs das marcas SPEEDLINE CORSE e RONAL você projetou para o pós-venda?

Por último, participei do desenvolvimento dos produtos SL6 Vettore, SL7 Gladiatore e do projeto PLANBLUE (R60-blue).

Onde encontra ideias e estímulos para os novos projetos?

Em geral, a experiência ajuda muito. No entanto, para chegar a soluções novas e originais, é necessário ter a sensibilidade para as novas tendências. E esta é a parte mais complicada. Por este motivo, para manter o passo com os tempos, são tão importantes os jovens estagiários e as ótimas relações com as universidades.

Quanto tempo, em média, demora para elaborar um novo projeto?

É difícil dizer. Às vezes uma ou duas horas, às vezes alguns dias. As ideias não chegam quando comandamos!

Há uma tendência atual no momento para o que se refere ao design?

É preciso ser superlativo e não convencional, mas sem perder a elegância. De qualquer maneira, a necessidade de cumprir as leis de tutela do ambiente exige-nos exacerbar cada vez mais a redução de peso das nossas jantes e, muitas vezes, isso tem uma influência concreta no design.