Nós utilizamos cookies para melhorar o nosso site e a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar no site está a concordar com a utilização de cookies. Encontra aqui mais informações sobre privacidade.

Aceitar.

A RONAL GmbH em Forst

aproveita a energia geotérmica

Data: 9. Janeiro 2019

A energia geotérmica é sustentável, ecológica e protege os recursos. Em Forst, utiliza-se todo o ano a energia geotérmica para aquecimento e refrigeração. Recorrendo a uma bomba térmica com eletricidade proveniente de energias renováveis, a unidade tem um consumo de energia praticamente neutro em carbono.

Por energia geotérmica entende-se o aproveitamento da energia térmica armazenada no interior da terra. Para tornar a energia térmica reutilizável, é necessário uma perfuração que, consoante o caso, pode ter uma profundidade desde alguns metros a vários quilómetros. A energia (geotérmica) é extraída das pedras adjacentes ou de água subterrânea, e é depois transportada para cima através das perfurações. Quando a temperatura dos recursos geotérmicos corresponde às exigências, a energia é diretamente utilizável. Caso contrário, mediante, por exemplo, utilização de uma bomba térmica, há a possibilidade de adaptar a temperatura dos recursos antes da respetiva utilização.

Porque utilizamos a energia geotérmica?

A energia geotérmica oferece uma fonte de energia sem emissões e utilizável no local, que está sempre disponível. A partir de uma profundidade de cerca de 15 metros quase não existem quaisquer oscilações de temperatura sazonais, ou seja, ao longo do ano está disponível uma fonte de energia muito uniforme. Além disso, ao contrário de um queimador, não ocorrem praticamente perdas de calor ou de transformação nem existem exigências relativamente à geração e ao transporte do combustível.

A RONAL GmbH quando construiu a sua nova sede decidiu recorrer à energia geotérmica para aquecimento e refrigeração. É para nós importante, poupar a energia primária e assim dar um contributo para uma economia amiga do ambiente. Na firma residente na região Krämer Brunnenbau foram feitos poços (profundidade: 21 m, diâmetro: 1 m), de forma a aproveitar a temperatura da água do lençol freático tanto para aquecimento (ca. 120 kW) como para refrigeração (ca. 50 kW) do nosso edifício. Em consonância com o nosso conceito de sustentabilidade PLANBLUE, o consumo de energia térmica e elétrica em Forst ficou assim praticamente neutro em carbono.

Foto: Simone Staron